Por favor, aguarde
Carregando...Sindicato Rural de Catalão

Associado

Atraso das chuvas segura plantio da soja em partes do país

Institutos internacionais de meteorologia apontam que seus efeitos do resfriamento das águas do oceano Pacífico já são sentidos

24/09/2020 - 17:15

Atraso das chuvas segura plantio da soja em partes do país
Dado como certo em 2020, o efeito La Niña pode atrasar chuvas no Brasil. Institutos internacionais de meteorologia apontam que seus efeitos do resfriamento das águas do oceano Pacífico já são sentidos, demorando para organização da umidade da Amazônia sobre o Centro-Norte do país. Com o fenômeno, as frentes frias não têm força para avançar pelo país, restringindo as chuvas ao Rio Grande do Sul. 




A dois dias do fim do vazio sanitário da soja em Goiás, ele já acabou em outras partes do país, porém o produtores resolvera aguardar mais pra plantar. Segundo o meteorologista da Somar Celso Oliveira, as precipitações devem se regularizar apenas em outubro. É hora de plantar? Em São Paulo, segundo a Associação dos Produtores de Soja e Milho (Aprosoja) local, a resposta é não. “Faço um apelo especial aos produtores, para não plantarem no pó e esperarem a hora certa e a boa reserva hídrica para largar as sementes, garantindo assim um bom início de plantio”, disse o presidente da entidade, Gustavo Chavaglia, durante a Abertura Nacional do Plantio da Soja, em Campinópolis (MG), dia 24 deste mês.


Em São Paulo, Chavaglia aposta que há produtores se arriscando, mas no geral, segundo ele, ainda é cedo para iniciar o plantio. Para o presidente da Aprosoja de Mato Grosso, Antônio Galvan, mesmo com a instabilidade do tempo, o produtor rural não desiste e segue otimista. Já em Mato Grosso do Sul, as chuvas que caíram no estado animaram os produtores. “Não foi muito abundante, mas tivemos pelo menos 20 milímetros em todo o estado. Estamos com o vazio sanitário vencido e com o aval da defesa sanitária para começar, então produtores estão esquentando os motores e algumas máquinas já estão em campo”, conta André Dobashi, presidente da Aprosoja MS.

E Goiás, o presidente da Aprosoja, Adriano Barzoto, os produtores devem dar início ao plantio na segunda quinzena de outubro. Ele acredita que o estado deve sofrer com um veranico nos dez primeiros dias do mês de vem. O plantio também não começou no Maranhão, segundo o presidente da associação dos produtores de soja do estado, José Carlos Oliveira. “Mas está tudo pronto, esperando só as chuvas chegarem", disse. De acordo com ele, o cultivo começa em 10 de outubro, e a expectativa do La Niña dá mais ânimo aos produtores. "Com o La Niña, nossa expectativa para esta safra é melhor, pois sempre que o fenômeno aconteceu, tivemos grandes produtividades”, diz.

Na Bahia, o cultivo deve acontecer já a partir do dia 1º de outubro nas áreas irrigadas. Em outras partes do estado, a expectativa é aguardar as chuvas. “Tivemos esta noite uma garoa, mas nada significante. Mas nosso plantio acontece mais tarde, geralmente, entre final de outubro e início de novembro. Estamos aguardando com calma”, diz Alan Juliani, presidente da Aprosoja no estado. A expectativa do vice-presidente da Aprosoja Rondônia, Guilherme Teodoro, era que as chuvas chegassem mais cedo por conta do La Niña, mas isso não se concretizou e apenas alguns produtores do norte do estado conseguiram começar a plantar. “É um ano atípico. Geralmente, temos chuvas bem variadas em julho-agosto, mas este ano foi mais seco. Isso também facilitou as queimadas, que prejudicaram principalmente áreas de lavoura com palhada”, conta.

Mais informações: https://www.canalrural.com.br/projeto-soja-brasil/chuvas-plantio-soja-cenario/

Data: 24/09/2020 - 17:15

Categoria: Associado

Compartilhe: